Virgem – o Analista

Virgem é um signo de terra, mutável, representa o discernimento, a busca por perfeição, a análise e a atenção aos detalhes. Virginianos são pessoas realistas e sua motivação básica é a síntese, no sentido de juntar coisas diferentes, de otimizar e compartilhar, sejam coisas, ideias ou aspectos da vida. Por isso também são tão atentos aos detalhes, perfeccionistas e buscam o belo na simplicidade.
Assim como Gêmeos, Virgem é regido por Mercúrio. A diferença básica em termos de busca de conhecimento é que Gêmeos quer saber tudo e Virgem quer saber apenas aquilo que interessa e for útil. Além disso, virginianos aprendem melhor quando podem colocar o que sabem em prática. Aliás, unir teoria e prática é especialidade de Virgem. E falando em especialidade, virginianos são ótimos especialistas, pois escolhem algo que faz muito sentido e aprendem muito sobre aquilo.

Apesar da curiosidade, para virginianos apenas interessa aquilo que é útil, o que pode ser posto em prática e que serve para alguma coisa. Ou seja, apenas o que tem uma utilidade ou finalidade prática.Isso porque virgem é voltado para a realidade concreta. Por isso muitos são dedicados demais ao trabalho e às responsabilidades, deixando muitas vezes de lado sua vida pessoal. Muitos sentem-se até culpados quando estão se divertindo, fazendo alguma coisa só por prazer ou só por fazer.
Uma característica marcante é o desejo de servir, sentem a necessidade de ser útil o tempo todo. E como são práticos e rápidos, são pessoas extremamente eficientes, capazes de dar conta de muita coisa em pouco tempo e sempre com bons resultados. Especialmente porque se ele se compromete a fazer alguma coisa, fará o seu melhor, com método, responsabilidade e eficiência, sempre em busca de bons resultados, ou melhor, em busca de resultados perfeitos. Por isso são excelentes funcionários, nem sempre se importando em ter altos cargos. Pelo contrário, em geral preferem cuidar do trabalho do dia a dia, sem tanta ambição por status ou poder, já que o seu interesse é fazer bem feito o que precisa fazer, ter bons resultados e trabalhar, independente do nome que tenha sua função. Fazem bem trabalhos práticos, coisas de bastidores e tudo que requer técnica, burocracia, praticidade e a busca por um resultado perfeito, de preferencia algo que seja útil para o mundo. São bons investigadores, detetives e pesquisadores. Até porque sua personalidade é mesmo investigativa e são muito eficientes, perfeccionistas e intelectualmente organizados e sistemáticos.
Precisam de segurança e por isso sempre vão escolher empregos mais seguros e estáveis, sem tantos riscos. E isso também vale para as demais áreas de sua vida.São detalhistas e precisam tomar cuidado para não perder o sentido do todo. Prestam atenção em cada detalhe, em cada parte, em cada pedaço. Em geral notam detalhes que ninguém mais havia reparado.São ótimos pra revisar coisas, projetos, trabalhos e textos.

Tendem a ser tímidos, reservados, sutis, muitas vezes um pouco quietos. Observam primeiro, pois precisam saber onde estão pisando antes de se mostrar por inteiro. Vão sempre se mostrando e se abrindo aos poucos, com reserva, planejamento e organização.
Podem ser pessoas obsessivas, especialmente por sua busca por ordem e limpeza, seja física, mental ou emocional. Em geral controlam suas emoções, especialmente as negativas, demonstrando apenas se sentem segurança suficiente para isso e desde que isso não crie problemas. Querem sempre resolver as coisas, detestam problemas, dramas e crises. Mas apesar da fama de organizados, muitos virginianos não são tão organizados assim, pois no fundo o excesso de organização externa pode refletir a desorganização interna. Por isso quanto mais em dia com suas emoções e conteúdos interiores, menos organizados precisam ser em seu dia a dia. Adoram uma rotina, alguma coisa que se repete, saber que o mundo é seguro e cheio de regras e rituais que mantém tudo perfeitamente seguindo um fluxo certo e determinado. Apesar disso, apreciam as mudanças e as fugas da rotina, desde que tudo possa ser devidamente planejado ou controlado para que não percam a segurança.
A sensibilidade emocional, a desordem, o romantismo, a imaginação, muitas vezes ficam ocultos, porque os virginianos só mostram isso tudo para quem é de muita confiança. Confiança, aliás, é algo muito importante para os virginianos, que quando perdem a confiança em alguém, isso é definitivo. Lutam muito com o próprio caos, pois só assim podem tolerar as incertezas da vida, já que por eles tudo seria sempre planejado e certo. Sua aparente dureza e frieza também são apenas uma máscara que o protege das incertezas e inseguranças do mundo. Porque no fundo gostam e precisam de amor, de carinho, têm bom gosto e sensibilidade, mas não gostam de perder o controle nem de demonstrar demais aquilo que sentem. Como sempre se esforçam para tudo e dão o seu melhor quando estão em uma determinada situação, esperam isso das pessoas também e por isso muitas vezes são críticos demais com os outros. E quanto mais gostam de alguém, mais criticam essa pessoa, porque enxergam o melhor nos outros e querem que o outro manifeste seu melhor, sempre. Por isso, muitas vezes a crítica é, no fundo, uma prova de amor, mas mesmo assim podem passar por pessoas críticas e exigentes demais.
Quem tiver a sorte de conhecer um virginiano na intimidade, verá, ao contrário da aparência fria e analítica, uma pessoa romântica e sentimental.

São pessoas que planejam as coisas, que vivem o dia a dia mas pensam no futuro. São pessoas generosas, que compartilham o que sabem com muita eficiência, sempre aplicando e demonstrando na prática as coisas.
No amor, aparentemente são frios e pouco românticos, exigentes demais com quem amam. Mas por dentro possuem sensibilidade e paixão, além da sensualidade natural dos signos de terra. Por isso, quando liberam sua sensibilidade, tornam-se pessoas sensíveis, capazes de satisfazer as necessidades afetivas e sexuais de seus parceiros. E as suas próprias, já que no fundo são pessoas cheias de desejos, sempre em busca do amor e do prazer mais perfeitos. Mas não é fácil para um virginiano assumir uma paixão, nem para si próprio. Por isso vão demonstrando tudo bem devagar, com cautela e cuidado para não se machucar demais. Um relacionamento para um virginiano não pode ser baseado em aparências. Precisa ter troca, ser profundo, ter sexo, carinho e troca intelectual. Precisam de um tempo para entender suas emoções e se entregar por inteiro. Como são realistas e têm os pés no chão, às vezes podem preferir uma relação mais segura à uma louca paixão. E esperam demonstrações claras e concretas dos sentimentos do seu amor.

Virginianos estão sempre fazendo alguma coisa, até para descansar, em geral fazem isso em atividade, mesmo que seja fazendo algo mais leve e divertido, mas sempre em movimento. Até porque sentem-se mal quando não fazem alguma coisa, é bom lembrar que querem sempre ser úteis. Só que nisso há um risco de sobrecarga e de uma rotina cheia demais.Isso pode prejudicar a saúde, outra parte sensível dos virginianos, que são os reis da somatização. Ficam doentes sempre que as coisas não saem como desejam ou fogem de seu controle, ou quando estão sobrecarregados demais, pois em geral não conseguem dizer não e vão acumulando coisas demais. Mas também em geral virginianos se interessam por saúde, alimentação e cuidados e por isso sabem muito bem como cuidar de si mesmos e dos outros. Não raro, virginianos se envolvem com alguma atividade na área da saúde. Também por isso têm fama de hipocondríacos, já que além de sempre ter alguma “coisinha”, fruto da somatização, também costumam gostar de temas ligados a saúde e estão sempre se informando a respeito. Também costumam se preocupar com alimentação saudável e se gosta de cozinhar, tende a cozinhar muito bem, preocupado com todo processo, desde a escolha do alimento até a hora de comer.
Virginianos são justos, gostam das coisas certas, cada coisa e cada pessoa no seu devido lugar. O contato com a natureza faz muito bem aos virginianos, que precisam de calma, segurança e bem estar. Podem ter dom para cura e para a arte e muitas vezes possuem habilidades manuais. São pessoas inteligentes e detalhistas, perspicazes e eficientes, delicadas, sensíveis, que desejam se melhorar sempre, pois enxergam em si e nos outros a capacidade de fazer o melhor, a possibilidade de encontrar a perfeição e a beleza em tudo.

A terra de Virgem é a areia, que está em constante mudança, apesar da aparente estabilidade. Ou seja, sabem ser estáveis e flexíveis ao mesmo tempo. Precisam de segurança, mas acabam aceitando (e até procurando) a mudança. São resistentes e resilientes. E também por isso são tão práticos, prestativos e sempre prontos para dar o próximo passo. 

Ser virginiano é ter um compromisso firmado com tudo aquilo que torna o mundo um lugar melhor pra se viver!

Nodos Lunares

Como o próprio termo remete, os Nodos se relacionam intimamente com a lua, que em um Mapa Natal trata dos nossos hábitos, intuição e necessidades emocionais. Estudos antigos revelam que os movimentos dos nodos afetam de maneira significativa a nossa jornada de vida.

O Eixo Nodal forma uma oposição, mas isso não significa que um lado é mais relevante que o outro, afinal, o objetivo de toda oposição é a síntese e o equilíbrio, não o abandono total de um lado em detrimento do outro. Vale ressaltar ainda que a interpretação dos Nodos não é mais importante que o Mapa Natal, mas sim um complemento muito relevante.

O Nodo Norte (ou “Cabeça do Dragão”) simboliza o que você precisa desenvolver nesta vida para encontrar o equilíbrio em sua jornada. Está conectado ao futuro, a novas possibilidades, tomada de riscos, potencial criativo e livre arbítrio. Assim que adentramos as incertezas de seu reino, as coisas começam a fluir e tudo começa a se encaixar, atraindo uma constante sensação de estarmos no caminho certo. Trata dos caminhos e desafios da sua atual existência, das características que você precisa evoluir e que trazem oportunidades, das atitudes que você também precisa adotar, das áreas que você precisa explorar. É um guia que mostra o seu destino pessoal e caminho evolutivo.

O Nodo Sul (ou “Cauda do Dragão”), está ligado ao passado, às conquistas já efetivadas e ao carma pessoal, no sentido de consequências e de colher o que a gente planta. É onde funcionamos no piloto automático e temos um pouco mais de dificuldades para se desgarrar. Nos lembra de que ainda há coisas que precisamos resolver se quisermos progredir em nossa jornada e mostra os temas arquetípicos mais predominantes em você, estando ligado à sua herança espiritual, ao que você já tem evoluído, a algumas características que você já domina, as áreas da vida que já tem experiência, a alguns dos seus hábitos mais frequentes e que lhe são confortáveis ou naturais. É parte da sua zona de conforto e demonstra alguns dos seus comportamentos e tendências mais inconscientes, lidando com talentos, habilidades, vícios e apegos. Significa o que você pode “ter demais” e mostra os recursos que devem ser utilizados como agregadores, sendo os meios, não os fins.

Precisamos sempre nos reconciliar com nosso passado para nos tornarmos inteiros e viver com um propósito mais bem definido. Uma tentação comum é pensar que o Nodo Sul deve ficar onde pertence (no passado) e que devemos nos concentrar exclusivamente em nosso Nodo Norte. Embora seja verdade que o Nodo Norte represente uma direção a qual devemos seguir, não devemos aplicar importância somente a ele.
Quando nos concentramos demais no Nodo Norte sem considerarmos o Nodo Sul, a tendência é nunca ficarmos satisfeitos. O Nodo Norte deve nos impulsionar, mas não deve gerar compulsão e nos fazer esquecer de onde viemos. Devemos transformar os opostos em aliados e extrair o que ambos têm de melhor, pois ambos são necessários em nossa vivência. Quando equilibrado, o Eixo Nodal agrega bastante à dinâmica do nosso Mapa Natal.

Jung e a Astrologia

Carl G. Jung foi o responsável pela introdução da Astrologia na psicanálise. O psicanalista suíço, abordou conceitos que para muitas pessoas estavam mais próximos da magia do que da ciência. Mesmo assim, seus postulados são profundos e interessantes, e conseguiram se superar a ponto de criar uma abordagem da Psicologia que se mantém até os dias atuais.

Para Jung, na Astrologia estão condensados todos os conhecimentos da psicologia dos Tempos Antigos. De maneira intuitiva, os doze signos do Zodíaco se transformaram em um resumo das realidades psíquicas. Eles configuram o que Jung chamou de “arquétipos”. Eles são padrões ou modelos psicológicos que vivem no inconsciente coletivo. Ele estava convencido de que existia uma disposição natural em cada ser humano para ser o que é. Não é aprendida, mas nasce em cada um de nós. Neste ponto se vê a influência da Astrologia na Psicanálise Junguiana. Os astrólogos estão convencidos de que existe uma aptidão para viver de um certo modo, a partir do momento do nascimento.

“A astrologia consiste nas configurações simbólicas do inconsciente coletivo, que é o tópico principal da psicologia: os ‘planetas’ são os deuses, símbolos dos poderes do inconsciente”.
–Carl G. Jung –

Ele desenvolveu o conceito de “sincronicidade” na sua teoria. A sincronicidade faz referência a eventos que geram uma coincidência. Eles se encontram, ocorrem ao mesmo tempo, mas, aparentemente, estão desconectados entre si. Por exemplo, quando alguém está pensando em algo pouco comum como um morcego e uma hora depois vê um na janela. Para Jung, estas coincidências obedecem a fios invisíveis que conectam todas as coisas. Isso está de acordo com os princípios astrológicos. Segundo esse conhecimento, existem forças invisíveis que fluem no universo. Estas forças estão se combinando constantemente e proporcionam o acontecimento de eventos na vida de uma pessoa. Deste modo, é evidente a influência da Astrologia na Psicanálise Junguiana. Uma ordem universal desconhecida se manifesta em uma situação específica. Os movimentos do universo dão origem a eventos definitivos na vida de uma pessoa. Pode parecer que isso se afasta da perspectiva científica, porém a física quântica também trata de postulados bastante semelhantes.

Jung chama a Astrologia de “método intuitivo”. Ele declarou em várias ocasiões que havia verificado que determinados estados psicológicos ou determinados fatos estavam relacionados com o trânsito dos planetas. “Especialmente, as aflições de Saturno a Urano”, declarou em 1954, durante uma entrevista.
Os astrólogos, por outro lado, concordam em muitos pontos com Jung. Eles insistem na existência de forças invisíveis que estabelecem um determinado sentido a tudo o que acontece. “A força que move o sol e as estrelas é a mesma que move a alma humana”, disse o famoso astrólogo espanhol Lluís Gilbert.
Assim como se aprecia uma influência da Astrologia na psicanálise, também ocorre o contrário. Muitos astrólogos se amparam nos conceitos de Jung para elaborar as suas interpretações. Um caso bastante particular é o de Richard Tarnas. Ele tem uma formação muito especial: é filósofo formado pela Universidade de Harvard, mas também psicólogo e astrólogo.

Ele conta que chegou à astrologia depois de conhecer os ensinamentos de Jung. Sua aproximação inicial foi, especialmente, empírica. Ele ficou surpreso ao descobrir que as cartas astrais de Galileu, Einstein e Darwin eram muito parecidas, e também que se repetiu a mesma configuração planetária durante um concerto de Beethoven e o show mais apoteótico de Jimi Hendrix. Uma frase resume a sua postura: “Sua psique é a respiração do cosmos”.
A influência da Astrologia na Psicanálise é questionada por quase todos os psicanalistas. Eles veem nessa influência somente um refúgio de mitos e lendas imaginárias que não têm validez. Na verdade, a psicanálise clássica se baseia na ideia de que o ser humano é o dono do seu destino e que as casualidades não existem.
A parcela contrária a essa opinião questiona o extremismo do raciocínio cartesiano que se impôs sobre o conhecimento. Eles indicam que não existe uma, mas muitas maneiras de chegar à verdade. E a verdade racional, a científica, é somente uma delas. Apesar de tudo, a Astrologia na Psicanálise continua estando bem presente, pelo menos na abordagem junguiana. Tanto os adeptos dessa abordagem quanto os astrólogos se sentem cada vez mais próximos da física quântica. Eles asseguram que, pouco a pouco, irá se desvendando um novo conhecimento, que desafia as leis racionais.

E seja como for, apesar das opiniões controversas de ambos os lados, a contribuição de Jung para a Astrologia é inegável, e seu legado nos acompanha até hoje, de certa forma, ele trouxe mais nitidez para a prática astrológica.

Astroconhecimento, o que é Isso?

Quantas vezes você fez as coisas no automático e depois se perguntou: O que eu fiz?

Nosso Mapa Natal contém informações valiosas sobre as direções que escolhemos, algumas inclusive que tomamos institivamente, e que não entendemos – mas que se a gente se conhecesse melhor (do ponto de vista Astrológico), tudo faria mais sentido mais rápido.

É onde entra o Astroconhecimento, quanto mais você estuda seu Mapa Natal, mais você integra suas forças, entende seus pontos de Tensão e de Fluidez e com isso aprende à tirar o potencial máximo da sua existência aqui e agora.

Suas forças são os Elementos e como eles estão distribuídos através do seu Mapa, e os Pontos de Tensão e Fluidez são os Aspectos Planetários presentes, quanto mais você entende, melhor você dirige sua vida não somente para onde quer, mas como quer. Você entenderá como é afetada pelo o que acontece ao seu redor, em diversas camadas.

Somos um Universo inteiro de informações, e nosso Mapa Natal é como um Manual de Instruções, de como nós funcionamos melhor – e isso somado as informações do que acontece dia-a-dia, no movimento celeste, possibilita fazermos o uso do nosso Astrolábio interno – para entender melhor sobre essa ferramenta, clique aqui.

Gostou de entender melhor sobre? Quer acessar essas informações através de uma Consultoria Individual? Entra na aba “Contato”, e deixa sua mensagem, bora marcar sua Consultoria, reajustar sua Rota para navegar melhor e desbravar novos territórios de forma inteligente e segura.